Neste Abril Verde, mês de conscientização sobre as doenças ocupacionais e acidentes de trabalho, a Sotero Ambiental vem reforçando o diálogo com todas as equipes sobre a importância das medidas preventivas como práticas diárias.

O Programa OPS! - Operação, Produtividade e Segurança – auxilia as UVS’s no fortalecimento do Operar Seguro como valor. Em nossa unidade, esta ferramenta é de fundamental relevância para tornar a cultura organizacional ainda mais segura. Uma evidência disto é a queda de 97% dos acidentes com afastamento entre os anos de 2020 e 2021.

Além disso, através de uma pesquisa interna foi identificado que estávamos inseridos na cultura reativa da Curva de Bradley e, atualmente, na cultura independente. No entanto, alguns colaboradores estão no nível interdependente, exercendo na prática os valores de Operar Seguro e Equipe, quando mostram preocupação com o outro.

Para o sistema Curva de Bradley, existem quatro níveis de maturidade da cultura de segurança das organizações: o reativo, onde há grandes taxas de lesões ocasionadas pelo instinto natural; o dependente, quando existe supervisão mas as decisões são tomadas com o intuito de seguir regras; o independente, os acidentes diminuem pois os indivíduos são capazes de ter responsabilidade com a sua segurança; e o interdependente, estágio com menor taxa de lesões e as pessoas se preocupam com própria segurança e das pessoas ao redor.

Ao atingir a cultura independente, é perceptível que o intuito do Programa OPS! está em prática na Sotero Ambiental, e a partir dele a qualidade e produtividade são mais eficazes. Nossos guardiões atuam para que cada vez mais os colaboradores alcancem o nível em que as lesões são próximas de zero.

“A principal função do programa OPS é realmente fomentar e acelerar essa mudança de cultura, onde os colaboradores entendam que segurança é um dever de todos. Nós precisamos trabalhar prevenindo acidentes e propondo melhorias que tornem o ambiente de trabalho mais seguro”, explicou a Coordenadora de Operações, Claudia Calafange.

Os guardiões do programa são responsáveis por garantir que a ferramenta funcione bem, com eficácia, além de capacitar os colaboradores e acompanhar a evolução dos indicadores.

 “O papel do guardião é muito importante para garantir que a gente tenha não só a quantidade estabelecida em meta, mas principalmente, a qualidade na execução das ferramentas. Porque através delas nós conseguimos enxergar diversos pontos de melhoria”, comentou Calafange.

A Sotero Ambiental apresenta os novos guardiões da ferramenta OPS:

Governança (guardião da Comissão): Vivianni Pinheiro

Observação Comportamental: Claudia Calafange

Índice de Prática Segura: José Luiz

Investigação de Análise de Acidentes, Incidentes e Desvios: Alana Freitas

Inspeção de Condições Inseguras: Paulo Torres

Análise de Segurança da Tarefa: Claudia Leal

Verificação de Conformidade de Procedimento e Gestão de Equipamentos Críticos: Thiago César

Através do papel dos nossos guardiões, a segurança e a prevenção são fortalecidas, além de transformar a cultura e viver tendo o Operar Seguro como valor.



ÚLTIMAS NOTÍCIAS