A discussão sobre ações afirmativas nas organizações é compromisso levado a sério pela Essencis MG. Por isso, buscando atender às diretrizes do Pacto Global da ONU, do código de conduta e seu compromisso com a sociedade, a empresa constituiu, com apoio do Instituto Solví o Comitê Ubuntu, grupo de adesão voluntária composto por colaboradores da empresa que buscará discutir e formular propostas para que a empresa se torne ainda mais inclusiva e equalitária.

Com o objetivo de fortalecer o debate interno, o nível de consciência e lançar o Ubuntu, a Essencis iniciou neste 13 de maio, dia da Abolição da Escravatura, o ciclo de conferências “Cores do Brasil”, um evento composto por quatro conferências que desnudam o racismo e a colonialidade/modernidade, trazendo a reflexão de pensadores decoloniais e contracoloniais vinculados a movimentos sociais e à Universidade Federal de Minas Gerais. A segunda sessão do Ciclo de Conferências será realizado no dia 27 de maio e a programação pode ser acessada no site da empresa: http://essencismg.com.br/coresdobrasil.

Para Fred Mendes, Líder do Comitê Ubuntu e pesquisador de relações étnico raciais, esta é uma inciativa histórica. “Estamos fazendo história! O Ubuntu é a primeira iniciativa desta natureza na Solví Essencis Ambiental e possivelmente, a única neste formato no Brasil. Temos muitas consultorias externas em empresas falando deste tema, mas um coletivo composto por colaboradores, gestado e estimulado na perspectiva do Pacto Global para este tema, seguramente é difícil. Isso não torna esta jornada mais simples, mas nos dá combustível para continuar refletindo e construindo caminhos para um futuro mais negro, mais colorido e diverso”, afirma.

O Ubuntu terá uma agenda anual de formação e proporá ações para que a Essencis seja, cada dia mais, uma empresa quer valoriza a equidade racial.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS