Uma abordagem de metaverso está em desenvolvimento na Essencis MG. O Projeto, que está em versão Beta e é parte do Programa de Transformação Digital da Solvi, é conduzido pelas colaboradoras Giovanna Lyssa Sousa, do Core, e Andressa Castro, da Inovação, com apoio da equipe do LabSolví.

O termo “metaverso” foi cunhado pela primeira vez na obra "Snow Crash", de Neal Stephenson, lançada em 1992 e de lá para cá, com a popularização das Tecnologias da Informação e da Comunicação – TICs, se transformou em algo maior que uma possibilidade literária. Em 2021 a expressão foi popularizada após o Facebook assumir que está investindo na construção de um ambiente digital disruptivo e inovador e mudar o nome da sua holding para “Meta”.

O metaverso vem buscando construir uma realidade virtual e com ela um novo modelo mental, social, econômico e cultural baseada no digital. Atualmente, já é possível conectar dispositivos como hardwares de realidade virtual a ambientes gameficados, semelhantes aos diversos jogos presentes no mercado e ter experiências de realidade aumentada.

Dentre as dimensões presentes no metaverso, uma das mais promissoras é a interação em tempo real e para aumentar seu realismo, já começam a chegar equipamentos como óculos, lentes  e sensores táteis que ressignificarão o conceito de experiência imersiva.

A Essencis MG, pensando nisso, está experimentando dimensões do metaverso e num contato inicial com o “mundo” provido pela ferramenta, a empresa desenvolveu um ambiente virtual de testes para compreender como se dará a dinâmica de uso desta ferramenta. Agora, acalme-se! Nosso ambiente ainda é uma aplicação simples, um promissor start para o processo. Como tudo que é feito de forma ágil, o principal é prototipar! Então, de forma ousada, resolvemos iniciar este processo e você pode conhecer este projeto acessando o endereço http://essencismg.com.br/metaverso.

 

Não estranhe! Como disse certa vez Elis Regina, “o novo sempre vem”!


ÚLTIMAS NOTÍCIAS